Gosto de Gente de Verdade



Dou uma olhada no Instagram e passeio o dedo pelas paixões inimagináveis que tenho em alguns minutos. Sorrisos Colgate, paisagens de cinema, celebrações de vida que mais parecem capas de revista. Gente normal que subitamente deixou de ser feita de carne e osso pra ser feita de likes e mais likes, comentários e mais comentários, um calendário minuciosamente montado de uma beleza estonteante, seja ela em colorações de amarelo e vermelho saudando o verão, ou numa tristeza obscura recheada de sombras, batons pretos e chapéus na chuva.
Cheguei à conclusão de que esses amores fotográficos são bons pra gente admirar através da tela do celular, mas na vida real as coisas são um tantinho diferentes. Eu gosto de gente que acorda de mau humor e só melhora depois do primeiro banho gelado. Gente que usa shorts furados e vai pra cozinha fazer tapioca com doce de leite. Gente que me apressa porque tem que pegar o metrô correndo pra não perder o horário.
Gosto de gente que eu posso encontrar na rua e chamar pra um café sem uma legião de fãs esperando na porta do restaurante pra tirar uma foto. Gente que vai passar o domingo comigo baixando os filmes que não estão na Netflix. Gente que vai me dar um beijo sem escovar os dentes – sem nojinho, por favor. Gente de verdade não tem preparação prévia pra hora que o amor chega.
Gosto de gente com sabor de café e camiseta manchada de pasta de dente. Gente que demora 100 fotos pra gostar de uma, que sai todo desajeitado nos cliques errados. Gente que não depende de luz boa ou de edição. Gente que vai torcer o tornozelo se correr demais às seis da manhã, ou então nem vai conseguir sair da cama num dia frio e vai burlar a dieta. Gente que não faz strike no boliche, mas gosta de arriscar a sorte nas coisas em que não é boa.
Gosto de gente de verdade, em carne e osso, sem ângulos corretos. Gente cheia de sardas e pintas e marquinhas brancas nos dentes e essas coisas todas que a gente não endeusa nos amores de Instagram. Gosto de gente que não cria expectativa sobre a altura ou sobre como deve se parecer, sobre como são os olhos por trás das lentes dos óculos escuros ou coisas do tipo. Gosto de gente que não é platônica. Sou contraditório. Todos somos.
Porque as nossas construções incríveis de redes sociais podem nos causar aquela sensação inédita de encantamento distante, podem fazer com que a gente se martirize demais por não ser como elas, por não estar no mesmo lugar onde elas estão, por não ter uma vida feita para ser mostrada por aí. E não é que essa galera não exista. Eles existem, mas bem longe de mim. Bem longe das pessoas que conheço, bem longe de quem toma café na padaria comigo. E acabo preferindo deixar as comparações de lado (e o celular também), focar em que está a minha volta e aproveitar melhor a vista fora do Olimpo. Gosto disso, e de gente que me mostre que não tem problema em ser imperfeito, não tem problema em ser um pouquinho como a - maioria dos seres humanos normais é. Gosto de gente assim, gente de verdade.

Autor: Daniel Bovolento

Comentários