Este artigo fará você refletir sobre o amor





O que acontece quando o amor aparece de repente em nossas vidas? Onde ficam os nossos passatempos ou interesses? É possível que desapareçam ou que se mantenham? O que é o mais adequado?
Cada um de nós tem uma série de gostos, passatempos e preferências que vamos forjando ao longo da vida. Alguns preferem ouvir música, enquanto outros se divertem lendo; também há aqueles que apreciam dançar ou, por exemplo, dar um passeio… Todo um universo de possibilidades se abre diante dos nós para escolhermos aquilo que mais nos satisfaz. 
Logo, chega o amor e com ele o encontro de dois mundos diferentes que sentem o desejo de se unir pela força da atração que esse sentimento exerce. Qual a forma de encaixar estas duas realidades? O que podemos fazer? Apresentamos este texto para refletir sobre isto… 

“O equilíbrio está em ser capaz de respeitar a si mesmo e aos outros.” 
-Walter Riso-

E de repente, o amor chegou 
Pode ser que aconteça como com o nosso personagem principal e que você adore fazer uma determinada coisa, ou que você aprecie muito algum tipo de esporte ou passatempo, a tal ponto de você não enxergar a sua vida sem se dedicar a isso alguns minutos… A sua rotina está marcada, de certa forma, por aquilo que você considera uma paixão, e você não concebe a sua vida sem isso.


Mas de repente, pode ser que o amor tenha chegado a sua vida sem avisar, como costuma acontecer, e tenha mudado toda a sua estrutura. E tem mais, no centro do seu olhar está essa pessoa que sem saber rompeu todos os seus esquemas para lhe oferecer algo novo e maravilhoso para desfrutarem juntos: o amor. Juntos vocês vão construindo uma bonita história cheia de coisas para compartilhar, experiências incríveis e momentos sem igual… Presos ao efeito do desejo e da paixão, o seu dia a dia se transformou em algo diferente desde que vocês se encontraram. Talvez você já não dedique tanto tempo a aquilo que gosta ou simplesmente o tenha esquecido, pois sob os efeitos de “estarem apaixonados” o pensamento se foca de forma constante na outra pessoa e no desejo de querer passar mais tempo com ela… A paixão cegou a sua rotina por algum tempo.

O amor precisa de dois, mas sem deixar de lado a individualidade

É verdade que quando estamos apaixonados ficamos alterados, já que costumamos ver a outra pessoa de forma idealizada e sonhamos com um montão de experiências e vivências nas quais tudo parece maravilhoso. Mas é preciso estar atento para descer dessa nuvem de algodão ou, com o tempo, a pancada do tombo será mais forte…


Não idealizar é quase impossível quando somos pegos pela paixão, mas cuidado para não ficar neste estado permanente, pois quando você perceber que a outra pessoa não era como você pensava, a frustração pode ser grande e a decepção tremenda… 
Outro aspecto a considerar é que quando o amor surgir não se deve tentar ser quem não é. Em um relacionamento, é preciso ser autêntico e transparente, apesar dos nossos medos. Você não deve deixar de ser quem você é só com o pretexto de querer agradar a outra pessoa, porque você estaria cometendo uma traição dupla: a primeira e mais importante com você mesmo e a segunda com a outra pessoa, sendo que em ambos os casos você está se tornando invisível.
A invisibilidade e mostrar-se de forma ideal não são bons ingredientes para construir um relacionamento.
No amor o que faz você brilhar é a sua autenticidade, ser transparente através dos olhares e poder mostrar ao outro as suas luzes, mas também suas sombras… para logo poderem andar juntos de mãos dadas no caminho que vai sendo construído. Pois o mais importante é ser fiel a nós mesmos para que a outra pessoa possa vir a nos conhecer.
Neste curta que apresentamos a seguir, parece que este é um dos princípios que o nosso protagonista não considera, e faz justamente o oposto: oculta uma das suas paixões a fim de que a sua amada fique feliz e contente. E você, até onde renunciaria por amor?

No amor, ter empatia também conta 

Se pararmos para pensar por um momento sobre o amor, talvez possamos mudar a nossa visão sobre o curta e relacioná-lo com o poder da empatia em um relacionamento.. A empatia em um relacionamento amoroso é um poderoso aliado que favorece a relação. 
Ser empáticos com nossos companheiros de vida nos permite captar o seu mundo emocional e compreender como se sente em determinados momentos. Isso nos servirá de indicador para saber como agir e como nos comunicamos com o outro. Colocar-se no lugar do nosso companheiro fortalecerá o nosso vínculo com ele. 
Como neste curta, onde a galinha se mostra sensível e triste quando fica sabendo que seu companheiro gosta de ovos… Sem exigências, simplesmente com um pequeno gesto, ele capta os seus sentimentos e decide dar um fim ao seu comportamento, a fim de que ela não se sinta ferida… 
Os relacionamentos são complicados, mas não por isso deixam de ser bonitos. O importante é crescer junto sem deixar de ser você mesmo, sendo flexíveis e não exigentes, compreensivos e não rígidos…


Artigo retirado de: http://amenteemaravilhosa.com.br/refletir-sobre-o-amor/

Comentários